ETERNO – BAIANO CHARLES

“Êêêêêê…meu amigo Charles…êêêêê…meu amigo Charles Gol”!!! Era ao tom desse cântico que o atacante Charles entrava em campo nos jogos do Cruzeiro. Alguém aí se lembra?

5479e887dce2as47655O atacante foi adquirido junto ao Bahia, chegou em janeiro 1991 e a sua contratação foi considerada como uma das maiores dentro do futebol brasileiro, os motivos? Charles vinha arrebentando no Bahia, tinha sido artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1990, com 11 gols, era o desejado por vários clubes e os Valores da negociação, que foram considerados altíssimos para a época.

Com a camisa do Cruzeiro, Charles fez 80 jogos e marcou 33 gols.

Charles era o atacante daquele timaço de 1991, (Paulo César, Nonato, Paulão, Adílson, Célio Gaúcho, Ademir, Boiadeiro, Luiz Fernando ( Macalé), Tilico, Charles e Marquinhos.

Técnico: Ênio Andrade) que conquistou de forma brilhante a Supercopa. De quebra, ele foi o artilheiro da competição com 3 gols. Curiosamente todos eles foram marcados em uma única partida, foi na vitória do Cruzeiro por 4 a 0 sobre o Nacional-URU

20111101110257430908aNa grande final contra o River, o Cruzeiro tinha a difícil missão de ter que vencer o jogo por uma diferença maior que a de 2 gols. (na primeira partida da final, na Argentina, o River bateu o Cruzeiro por 2 a 0).

Quem esteve nesse jogo sabe a emoção que foi. Torcida maluca, todo mundo apreensivo. Mas quando o Ademir abriu o placar, aos 43 minutos do primeiro tempo, eu relaxei… Ademir fazendo gol!!! Nada nos impediria rs…

Veio a segunda etapa e logo aos 8 minutos saiu o segundo gol do Cruzeiro, marcado pelo companheiro de ataca de Charles, Mário Tilíco.

Bom, as penalidades já estavam garantidas, mas não faziam parte dos planos do Cruzeiro. Aos 30 minutos da segunda etapa, Charles como um verdadeiro ponta direita, chegou a linha de fundo, deu um passe perfeito para a área, (“Acho que foi a única vez que fiz uma jogada como aquela”, falou na época  o ex-atacante) a bola encontrou novamente Tilíco que empurrou para o fundo do Filó (Como falava o grande narrador Fernando Sasso). PRONTO, explosão de alegria no Mineirão.

Ao término da partida, a torcida invadiu o gramado e fez uma festa fantástica com seu heróis, os jogadores do Cruzeiro.

O bom futebol apresentado por Charles com a camisa do Cruzeiro, despertou o interesse de nada mais nada menos que o de Maradona. O Argentino não mediu esforços e levou o baiano para o Boca.

Charles ficou no Cruzeiro até junho de 1992, pouco mais de um ano, mas foi tempo suficiente para escrever seu nome na história do clube.

“Êêêêêê…meu amigo Charles…êêêêê…meu amigo Charles Gol”!!! Era ao tom desse cântico que o atacante Charles entrava em campo nos jogos do Cruzeiro.

Torcedores. Cultuem a história do Cruzeiro, procurem, pesquisem. Tivemos ao longo dos anos em nossos times, jogadores que vestiram com muita honra a camisa do clube. Não permitam que esse passado morra.

Esses atletas construíram a história vitoriosa do nosso clube, o mínimo que temos que fazer por eles e não permitir que as suas histórias se apaguem com o tempo.

Comments

comments

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta