O estelionato do marketing celeste

ingresso-free

Até o vice-presidente do Cruzeiro Bruno Vicintin sabe que o marketing do clube é decepcionante.

Cabe ao departamento de marketing gerir o Sócio do Futebol.

Marcone Barbosa e Bernardo Mota são os responsáveis.

Nesta quarta-feira (19/10), o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, apareceu em um vergonhoso vídeo divulgando uma promoção (sic).

Não se trata de uma promoção.

É um estelionato.

Não há outro nome para essa afronta à inteligência do torcedor.

Para ter direito a desconto no ingresso, os cruzeirenses têm de comprar ingressos para todas as partidas restantes deste Campeonato Brasileiro.

O Cruzeiro briga para não cair.

O Vitória, próximo adversário, vai entupir o Barradão com entradas a preços populares.

E o Cruzeiro quer bater a carteira de seus torcedores.

Incompetência.

Resultado do trabalho de gente que não conhece noções elementares de marketing.

Profissionais que não sabem fazer contas simples de matemática.

Homens de comunicação que não conhecem a história do clube.

A artimanha do Cruzeiro é lamentável.

Exemplo: Sócio Libertadores.

Pagará nos próximos três meses, R$ 450 de mensalidade.

Para ter direito aos ingressos com desconto, terá de desembolsar mais R$ 480.

I N A C R E D I T Á V E L.

O marketing do Cruzeiro não se preocupa com seus torcedores.

Pelo contrário.

Debocha de sua imensa torcida.

Entrega cortesias para amigos se fartarem em camarotes bancados pelo clube.

A incompetência na montagem do time e no sucateamento das categorias de base é deixada de lado na hora de contar o dinheiro que sai do bolso do torcedor.

São PHD´s em contar quantos centavos vão arrecadar com uma promoção lamentável como a anunciada pelo presidente Gilvan.

É muita conta para pagar.

Há os honorários de Paulo Bento.

Do Deivid.

A multa de Riascos.

Bruno Nazário, Gino, Mino…

A lista é grande.

Os milhões de dólares em contratações de péssimos jogadores sangram as finanças do Cruzeiro.

Tiago Scuro não paga um centavo de seu bolso para fazer suas bobagens.

A conta é do torcedor.

Gilvan e o marketing desconhecem a possibilidade concreta de rebaixamento.

Preferem a segunda divisão a fazer uma promoção para lotar o Mineirão nesta reta final do Brasileiro.

O capitão Henrique o técnico Mano Menezes imploraram uma promoção de ingressos na semana passada.

Logicamente não foram atendidos.

O Cruzeiro está nas mãos de homens turvos.

Os olhos desses caras não brilham.

Profissionais que não entendem de futebol, marketing e, principalmente, respeito.

Comments

comments

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta